dezembro 01, 2008

Da Série "Especial para www.giorgiavasconcellos.com.br "

Natal : O Nascimento do Consumo?


Que vivemos em uma sociedade consumista não se contesta. Que gostamos cada dia mais de consumir também não. E nem que o consumo deixou de representar apenas a aquisição de um bem. Comprar, hoje, é um verbo relacionado com conquista, vitória, status, compulsão, doença e terapia. A aproximação do Natal, então, parece exaltar até mesmo os ânimos mais contidos para o consumo. E os meios de comunicação acabam por tornar a resistência ao cartão de crédito quase impossível. Que o digam os pais...

Fico imaginando o que se passa na cabecinha das crianças quando vidram os seus olhinhos na propaganda da nova boneca que fala e memoriza o nome escolhido pela nova “mamãe”. E os lançamentos da Barbie? Quando finalmente compramos a “Barbie Magia do Arco-Íris”, a televisão já mostra, em um cenário de sonhos a “Barbie Castelo de Diamantes”...E todas elas têm o seu cavalo mágico, as suas amigas inseparáveis, o seu castelo indispensável, e a sua versão míni, maxi, falante, dançante, iluminada...Enfim, aquela que a sua filha sempre sonhou e não pode viver sem – pelo menos até os próximos dois dias.

Assistir aos canais de programação infantil é como assistir a um canal de compras específico, direcionado e, temos que concordar, fascinante. Como leiga em assuntos de marketing e publicidade, só posso afirmar que os responsáveis pelas vendas destes produtos estão cada vez melhores...

E aqui, do outro lado da tela, nós, mães e pais, muitas vezes também fascinados com o novo lançamento do “Hot Wheels”, com o “Circo Mágico do Backyardigans” e com a “Amazing Ananda” – só os pais e mães entenderão o que quero dizer – precisamos conter o consumismo desenfreado dos nossos pequenos e mostrá-los o verdadeiro sentido do Natal. Mas será que nós sabemos o verdadeiro sentido? Será que também não nos deixamos encantar pelas luzes e músicas desta época do ano e, principalmente, pelas maravilhas que o mundo consumista nos põe a disposição em 10 vezes sem juros no cartão, com frete grátis?

O fato é que, falo por mim, comprar o presente desejado pelos nossos filhos nos enche de contentamento. Será que pela felicidade de ver os olhinhos brilhando e o sorriso no rosto ou pela sensação de amenizar a culpa por não sermos tão presentes como gostaríamos? Talvez tudo isso junto, como reflexo de uma vida moderna e de uma mudança no panorama e na estrutura familiar que distancia fisicamente os filhos dos pais e, principalmente, das mães, que já foram presença fixa e contínua no lar.

E assim, continuamos consumindo, desenfreadamente ou não, racionalmente ou não, com crise ou sem crise, com Obama ou sem Obama, felizmente...Ou não.

14 comentários:

Eneida disse...

É verdade!
O consumismo é nítido, e nem sei se é culpa do marketing, mas que ele incentiva, incentiva!
A ansiedade dessa vida corrida acho que contribui muito também.
Vejo isso como um problema, um enigma que ainda não decifrei.
Beijo.

Nina disse...

Acho isso um grande erro nosso, como pais viu Rê? Quem se satisfaz mais com os presentes, somos nós,que damos a eles. As criancas, se satisfazem com pouco. Pelo menos era assim mais antigamente, cansei de ver meus filhos deixando um brinquedo caro de lado e indo bincar com a tampa da panela, com um colar da mãe, com o martelo do pai... sei que hoje algumas coisas mudaram, mas ainda é uma bola velha que leva meu filho a brincar mais tempo e e'um bom livro que prende minha filha por mt mais tempo em algum lugar, mesmo que na suas listas de prsentes, estejam coisas caras, sei que é algo simples que os deixa felizes. Nós precisamos pensar mt sobre isso, e mais, sermos exemplo. Como uma mae que nao consegue se conter numa loja de maquiagem, e gasta o que tem e o que nao tem, pode dizer ao seu filho que aquilo que ele quer é mt caro? filho vive de exemplo.
Mas confesso que é dificil simplificar a vida que temos hj, onde tudo é pronto, pré fabricado, cada vez tem menos qualidade e mais caro é...

bjs querida

_+*A Elite in Paris*+_ disse...

Sera que quando eu tiver filhos e eu decidir não dar prendas de natal mas partilhar momentos unicos de familia e amor, eles vão achar que eu não gosto deles como as outras maes parecem gostar dos seus filhos a quem enchem de prendas?

Beijo meu ♥,

A Elite

Claudia Pimenta disse...

oi renata! excelente reflexão p/o advento... bjs!!!

Joaninha Bacana disse...

Na verdade, eu lembro pouco dos presentes de Natal que ganhei quando crianca. Lembro mais é da árvore, toda enfeitada. E de fazer biscoitos de Natal junto com a minha mae. E das tias-primas que nao tinham familia, e vinham passar o Natal com a gente. Natal tem muito consumismo sim, mas tem tanta outra coisa legal junto, nao? :o)))
Beijos, Angie

Stéphany disse...

Tem toda razão, Renata! Acho que encontramos uma certa fuga no ato de comprar, uma válvula de escape mesmo. E é tão difícil, na prática, fazer diferente, né? Mas pensar assim já é um grande passo pra gente se conter mais...
Um beijo!

P.S. sumida por causa da correria, mas sempre por aqui!

Chris disse...

Vou te linkar no meu blog, pq blog bom a gente precisa vir sempre ne? Adorei o blog pq vc escreve mesmo! To passando aqui rapidinho, mas depois vou ler tudinho com calma! hehehe

Bjaoo

Nina disse...

Oi Re, vc perguntou do livro, uma amiga minha que sabe que sou totalmente fã da Cris, resolveu me presentear :)
nao é maravilhoso??

nao compro nada pela internet no brasil, sabe re, morro de medo, nao confio de jeito nenhum, por isso ia deixar pra depois, qd alguém pudesse enviar ou mesmo em 2010, qd vamos por aí, mas vou ganhar da amiga, só falta chegar! vc ja tem o seu?

Bel disse...

Renata,

Tu és sempre tão gentil quanod me visitas! tenho uma curiosidade imensa de ver uma foto tua, sabe?
Imagino-te com traços delicados e leves ... porque assim sinto tua escrita.
A Lena lá do meu mundo de bolinhas foi uma fonte de inspiração para um trabalho de corpo ... só que deixou em mim tatuagens na alma.
Um grande beijo, querida.
Bel.

Eneida disse...

Renata, descobri que você é minha colega!
Que legal!
Beijo.

Renata disse...

Eneida: Verdade...A ansiedade é um dos grandes males do século!! Somos colegas de profissão???

Nina: Vejo claramente isso nas meninas também...UM presente é facilmente deixado de lado por uma folha de papel para rabiscar e alguns objetos 'sem sentido' que animam a imaginação...E o exemple é realmente TUDO.

Elite: Tenho certeza de que esses momentos valerão muito mais do que qualquer presente. Domingo passei a tarde pintando o rosto das minhas pequenas e assistindo aos 'teatros' que elas inventavam. recebi os melhores sorrisos do mundo...

Cláudia: Acho que devemos mesmo refletir no advento...

Angie: o que mais quero é passar essas lembranças para as minhas filhas...

Stephany: Que bom vê-la por aqui...Não deixe de aparecer!

Chris: Já te linkei aqui também!!!

Bel: São tuas palavras que inspiram gentileza!!

Beijos a todas!!!

Eneida disse...

Renata, me pareceu que você é advogada, confere?
Beijo.

Nina disse...

Oi Fadinha 3!!
to ansiosa esperando nosso vestido de flores e borboletas, rsrsrs

sabe o que lembrei? outro dia vi um comentário de uma menina dizendo que te encontrou por acaso na net, e que foi sua aluna, te elogiando como professora... achei tão, mas tão lindo o que ela escreveu.
então vc é professora! Que linda deve ser.. fico feliz por Laura e Elisa. mamãe linda essas pequenas têm, puxa vida...

*orgulho*
um beijão... ah, sobre comprar na net, é o seguinte, qd morava aí sempre comprei, sem problemas tbm, mas estando aqui, me falta coragem, eu só escuto notícias de gente enganando gente, conseguindo descobrir senhas, fazendo roubos em contas correntes, falsificando cartões, sei lá Rê, tenho medo :(

Lúcia disse...

É bem difícil essa questão com a criançada. Por mais que a gente tente passar uma imagem cristã do natal, os pequenos são bombardeados por consumismo por todos os lados, a simples frase 'o q vc vai pedir pro papai noel?' já cria uma expectativa neles que acaba com qualquer outro sentido do natal.
A gente tenta, né?
Bjão