abril 27, 2009

Encontros e Desencontros.









Já cheguei a acreditar que a vida é feita de encontros. Acreditei que os encontros que temos durante a nossa vida que nos tornam as pessoas que somos. Pais, irmãos, a melhor amiga de infância que pode mudar a qualquer momento, aquele professor de matemática ou de física que era o mais temido do ensino médio, aquele anúncio de jornal que leva a um pensamento inesperado ou a uma ligação surpreendente, aquele filme que faz querer mudar a vida, o primeiro chefe, o primeiro namorado. Acreditei que cada um desses encontros nos ensinasse alguma coisa e preparasse o encontro mais especial de todos, aquele que temos com o nosso próprio EU.

Hoje não mais acredito nesses encontros. Ou pelo menos não somente neles. Acredito que os desencontros que enfrentamos durante a vida é que se tornam os verdadeiros mestres de uma personalidade.

Encontrar é fácil. Passamos a vida inteira tentando encontrar. Respostas, caminhos, parceiros, soluções, felicidade. Quando o encontro acontece, nos sentimos realizados. Desencontrar, não. Desencontrar é difícil, é doloroso. Quando desencontramos, sofremos. Muito. Encontrar é um resultado esperado, querido. Desencontrar deixa um vazio, representa uma perda. E é aí que eu vejo toda essa beleza. Às vezes, não precisamos encontrar mais nada, mas precisamos desencontrar preconceitos, idéias, vontades, pessoas, trabalhos. Desencontros ensinam. Desencontros mudam. Fazem crescer. Desencontros também nos levam ao encontro do nosso próprio EU, e, muitas vezes, de forma ainda mais íntima.

9 comentários:

Claudia Pimenta disse...

oi renata! texto lindo e contundente... para pensar! bjs, querida!!!

Chris disse...

Tudo vira mesmo experiencia de vida, e tudo se torna uma grande rede de pesca, com tudo conectado. Afinal para haver um desencontro, um encontro aconteceu antes, e no sofrimento crescemos. Realmente nossa historia de vida nos mostra como somos, nao so pelo encontro, mas tbm desencontros!
Bonito texto!

bju bju

Nina disse...

é verdade, a gente vive procurando às vezes encontrando até mesmo o que nao queremos, talvez sejam esses os verdadeiros desencontros, é assim que a gente aprende mesmo. tem um dia que o desencontro vira encontro...
e tudo passa a valer à pena :)

Bjs Re!

te mandei uma cartinha, em respota a tua, vc recebeu?

Eneida disse...

É assim que a gente é burilado!
Somos grosseiros.
Só tento aprender mais e mais com os desencontros pra ver se eles são bem aproveitados!
Beijo!

Claudia Pimenta disse...

oi renata! voltei p/dizer que adorei seu comentário! não me culpe, por favor... (risos) aproveita e passa lá p/me contar seu top 5! ah, depois me manda seu email p/eu anotar - pode enviar p/o pepperinfashion@gmail.com
bjs, querida!!!

Nine disse...

Olá..tudo bem com vc? fazia um tempinho que eu naõ passava por aqui e gostei da reflexaõ!!

Embora, ninguem nunca queira ter um desencontro, pois aprendemos sim, mas tambem sofremos!

e quem gosta de sofrer naõ e mesmo?

beijinhos...

Nine

Lúcia disse...

Dá para dizer que os desencontros são um mal necessário, né? Bjs

Natchi disse...

Encontros e desencontros fazem parte da vida. Há encontros que ficam marcados como tatuagem na pele, ou se gosta ou se detesta e os anos passarão por cima. Os desencontros estavam predestinados a serem breves como a espuma do mar. Mais tarde nos refrescarão a memória.
bjo,
Natchi

Natchi disse...

Encontros e desencontros fazem parte da vida. Há encontros que ficam marcados como tatuagem na pele, ou se gosta ou se detesta e os anos passarão por cima. Os desencontros estavam predestinados a serem breves como a espuma do mar. Mais tarde nos refrescarão a memória.
bjo,
Natchi
Me visite em meu blog!